top of page
Buscar
  • Foto do escritorLeader Saúde

É possível desenvolver intolerância a lactose na vida adulta?



Segundo alguns dados de pesquisas brasileiras, entre 35% e 75% da população do país possui algum nível de intolerância à lactose. Essa intolerância ocorre por conta da dificuldade de algumas pessoas – total ou parcial – em digerir os açúcares existentes no leite e em seus derivados. A explicação para isso está na deficiência da produção da lactase por alguns organismos, uma enzima capaz de quebrar e digerir a lactose, que é o açúcar presente no leite, formado por dois carboidratos específicos: a glicose e a galactose.


A intolerância à lactose pode surgir em qualquer idade?

A intolerância pode surgir de diferentes formas, mas consiste basicamente na deficiência do nosso corpo em produzir a enzima lactase, e isso pode ocorrer, sim, em qualquer idade; do desmame à vida adulta.


É mais comum nos primeiros anos da infância, e alguns estudos indicam que, mesmo nessa época, a idade para apresentar os primeiros sintomas pode variar de acordo com fatores étnicos, sendo mais precoce em crianças de origem negra e mais tardia em crianças de origem branca. Isso pode ocorrer por conta da evolução de grupos sociais humanos distintos que, desde antigamente, consumiam o leite de animais domesticados ou não tinham este hábito.


Entretanto, mesmo na adolescência ou vida adulta, independente da origem étnica do indivíduo, é possível apresentar deficiência de lactase, com o organismo simplesmente reduzindo sua produção.


Existem tipos diferentes de intolerância à lactose?

Sim. De um modo geral, podemos citar três tipos diferentes de intolerância.

· A intolerância congênita, mais rara, é onde o bebê já nasce com deficiência na produção de lactase, apresentando diarreia logo após a amamentação ou ingestão de alimentos lácteos.

· Já a intolerância primária ou genética é a mais comum, surgida da ausência parcial ou total da lactase e desenvolvida na infância gradualmente após o desmame, ou em diferentes idades.

· Há também a chamada intolerância secundária ou adquirida, que advém de lesões no intestino delgado ou como sequela de alguma doença, como doença celíaca, gastroenterite, desnutrição, colite ulcerativa ou processos de quimioterapia, o que também pode ocorrer em qualquer idade.


192 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page